Pesquise no Grupo AVPH

Cultura Badariana

Cultura Badariana - AVPH
Cultura Badariana - AVPH
Visite no Google maps

    A Cultura Badariana (5.000-4.000 a.C.) cujo nome tem origem no local onde foram descobertos seus vestígios, El-Badari nas margens do Rio Nilo, entre Matmar e Qau, aproximadamente 200 km a noroeste de Luxor, abrangendo uma área de 30 km a oeste do Nilo. Era um civilização primitiva que habitou o Alto Egito e Deserto do Saara Oriental durante o período Neolítico ou Era Pré-dinastica do Egito. Foram encontradas evidências de que esta cultura já praticava a agricultura e conseguiu implementar diversos avanços nessa área, bem como, na estruturação da complexidade da sociedade da época, que contribuiu significativamente em diversar características avançadas da Civilização Egípcia que surgiria posteriormente. Essa cultura foi primeiramente investigada pelos cientitstas Guy Brunton e Gertrude Caton-Thompson entre os anos de 1922 a 1931.

   Os assentamentos badarianos eram sazonais (Cerca de quarenta assentamentos e seiscentos túmulos foram localizados), sendo compostos por cabanas construídas a partir de materiais leves, onde algumas possuíam até lareiras e currais, quase sempre haviam alguns poços para fornecimento de água e construções forradas com materiais fibrosos que deveriam ser silos para o armazenamento de grãos. Existiam também os cemitérios que se localizavam próximos dos assentamentos, entretanto fora das áreas habitacionais, que eram constituídas por covas de formato ovalado ou circular, possuindo pouca profundidade, contendo quase sempre esteiras e almofadas de palha, pele ou tecido abaixo dos mortos. Os corpos eram posicionados voltados para a esquerda e com a cabeça virada para o sul, levando consigo alguns pertences que os representavam ou que eram considerados valiosos para o morto, como ferramentas, armas, animais (como bovinos, chacais, gazelas, ovinos e caprinos), cerâmicas, crânios de animais, entre outros, demonstrando cuidados com o morto para uma vida após a morte. Através desses "pertences" enterrados com os mortos, foi possível verificar que já nessa época, existia uma estratificação social, onde os membros mais prósperos da comunidade levavam consigo itens mais sofisticados e valiosos, sendo enterrados em locais separados no cemitério, onde ficariam os túmulos mais ricos.

   A economia Badarian foi baseada principalmente na agricultura, pesca e pecuária. Os principais restos de animais encontrados eram de bovinos, cães, ovelhas e caprinos, e as principais culturas cultivadas eram o trigo, cevada, lentilhas e tubérculos, essas atividades eram complementadas pela caça pricipalmente de gazelas e crocodilos e pela pesca. Fabricavam ferramentas baseadas em raspadores, perfuradores, machados, foices bifaciais e pontas de flechas de base côncava feitas em sílex e quartzo, agulhas, alfinetes e furadores confeccionadas a partir de ossos de animais, bem como utensílios a base de cerâmica de paredes finas como taças, estatuetas e tigelas, as quais eram ornamentadas com ondulações, polidas, temperadas e as vezes até decoradas com estilos florais e pintadas de vermelha, marrom e preto. Confeccionavam também outros utensílios a base de Marfim, como pentes, grampos, pinos, contas, colheres, estatuetas, a base de cobre, como ferramentas e pinos. muitos outros materiais já eram explorados e fabricados como pigmentos, vasos, casca de ovo de avestruz, conchas, lápislazúli e os primeiros exemplos de vidro a base de esteatita. Diversos desses materiais e itens não existiam na região, mostrando que muito provavelmente vieram através de comércio com outros povos da Mesopotâmia, Palestina, Mar Vermelho (conchas), Baixo Egito (vasos), Sinai (turquesa), Síria e Da região da Núbia (marfim de elefantes).

    As origens desse povo é bem diversificada, pois o elevado nomadismo praticado anteriormente levaram os ancestrais deles a diversas regiões desde o deserto ocidental, até o sul em Mahgar Dendera, Armant, ELKAB e Nekhen e até o leste em Wadi Hammamat, essa região foi denominada pelos gregos como Hierakonpolis. Sendo a cultura precedente a badariana nessa região a cultura Faiyum e a cultura seguinte a cultura Amratiana.

Referências:
- "Ancient Egyptian Culture: Paleolithic Egypt". Emuseum. Minnesota: Minnesota State University, 2010.
- Bard, Kathryn, ed. (2005). Encyclopaedia of the Archaeology of Ancient Egypt. Routledge. ISBN 0415185890.
- Brunton, Gertrude; CatonThompson (1928). The Badarian Civilisation and Predynastic Remains near Badari. British School of Archaeology in Egypt. ISBN 9780404166250.
- Shaw, Ian, ed. (2000). The Oxford History of Ancient Egypt. Oxford University Press, p.479, ISBN 0198150342.
- Watterson, Barbara (1998). The Egyptians. WileyBlackwell, p. 31, ISBN 0631211950.


loading...
   ® Atlas Virtual da Pré-História - AVPH.com.br | Conteúdo sob Licença Creative Commons | Política de Privacidade | Termos de Compromisso | Projeto: AVPH Produções
    Obs.: Caso encontre alguma informação incoerente contida neste site, tenha alguma dúvida ou queira alguma informação adicional é só nos mandar um e-mail. Tenha uma boa consulta !!!.